Flagrado scooter Dafra Maxsym 400i no Brasil

Maxsym 400i, da taiwanesa Sym, deverá ser a grande estrela da marca no Salão Duas Rodas, em outubro deste ano

A disputa pelo mercado brasileiro de scooters acima de 300cc ficará mais acirrada daqui para frente. Depois de ver o Index 350 da Keeway rodando pelas ruas de São Paulo, a reportagem da Agência Infomoto flagrou, com exclusividade, outro scooter de alta capacidade cúbica sendo testado no Brasil. Trata-se do Maxsym 400i, modelo fabricado pela Sym, que chegará ao país pelas mãos da Dafra, como já acontece com o Citycom 300i e a moto street Next 250, ambos produzidos pela marca taiwanesa. E, segundo informações apuradas pela INFOMOTO, seu preço deverá ficar próximo dos R$ 20 mil.

A investida da Dafra em outro scooter é reflexo do sucesso de vendas do Citycom. Segundo a Fenabrave, entidade que contabiliza a distribuição automotiva no país, o modelo de 300cc já teve, desde seu lançamento em outubro de 2010, exatas 6.576 unidades emplacadas. Além do Citycom, o único modelo deste segmento com número expressivo de vendas é o Suzuki Burgman, comercializado no Brasil nas versões de 400cc e 650cc e cujas vendas somadas equivalem a 783 unidades no mesmo período.

No visual, o Maxsym deixa claro que estamos olhando para um “irmão maior” do Citycom, uma vez que o conjunto óptico duplo tem formato bastante semelhante ao modelo que já é vendido aqui. Entretanto, nesse scooter, a Sym deixou de lado as linhas esguias do Citycom, feitas para ganhar tempo em deslocamentos urbanos, para investir em um design mais robusto, indicado para trechos de estrada. Para melhorar o desempenho e a absorção de impactos, o modelo da Sym usa rodas aro 15” e pneus de perfil esportivo.

Scooter para viagem

O corpo maior – são 2.700 mm de largura, 825 mm de largura e 1.400 mm de comprimento – permitiu que o Maxsym recebesse um assento largo, com 750 mm, dividido em dois níveis e com encosto para o piloto e garupa. Acessório que oferece conforto nas longas jornadas. O parabrisa também é inclinado para conferir maior aerodinâmica e os faróis dianteiros combinam LEDs e lâmpadas convencionais para garantir boa iluminação em rodovias, enquanto as luzes de posição também em LED se asseguram de que o maxiscooter seja visto por outros veículos.

No quesito propulsão, o novo produto da parceria Dafra/Sym emprega uma receita que já faz sucesso no segmento: um monocilíndrico de 399 cm³ refrigerado a líquido e capaz de gerar até 34 cv de potência máxima a 7.000 rpm e 3,5 Kgf.m de torque máximo a 6.500 rpm. Os freios, por sua vez, são a disco em ambas as rodas com 275 mm de diâmetro, sendo duplo com pinças de fixação radial na roda dianteira e único na traseira. Mesmo com o nome coberto por uma fita, é possível perceber também que o modelo flagrado no Brasil é a versão equipada com o sistema ABS.

Outras características que tornam nítidas a vocação touring do Maxsym são o tanque de combustível de 14,2 litros – 14,7 litros na versão ABS – e o grande compartimento para bagagem abaixo do assento. No local, que também conta com iluminação, podem ser acomodados dois capacetes fechados com facilidade. Para oferecer mais praticidade na hora de estacionar, o scooter taiwanês também oferece apoio lateral como opção ao cavalete central.

Reinado ameaçado

Com a chegada do Maxsym, além do segmento de maxiscooters ficar ainda mais concorrido, a hegemonia do Suzuki Burgman 400 como único representante nessa faixa de cilindrada também termina. No entanto, para saber se realmente o modelo feito pela Sym será páreo para a versão média do Burgman, apenas sabendo o preço sugerido, que deve ficar próximo de R$ 20 mil, mas será confirmado apenas em outubro, durante o Salão Duas Rodas.

***

Flagrado scooter Dafra Maxsym 400i no Brasil